Category Archives: Silva Gaio

Escola Básica Poeta Manuel da Silva Gaio

A escritora Alice Cardoso vem à escola!

Padrão

Amanhã, a Biblioteca da EB Poeta Manuel da Silva Gaio terá o prazer de acolher a escritora Alice Cardoso em duas sessões (14h e 15h), para os alunos de Almedina e S. Bartolomeu (JI e 1.º CEB).

AECC BE Cartaz Alice Cardoso 20160114

Cartaz (miniatura) © Margarida Azevedo AECC’16

Ficha técnica:

Cartaz para o encontro com a escritora Alice Cardoso. Trabalho em Pages sobre os livros da autora que em seguida se discriminam..

Utilização miniatural de imagens encontradas online, das ilustradoras Anabela Pedrosa, Carla Nazareth, Cátia Vide e Diana Amaral.


 

Livros:

  • Antares no coração das estrelas
  • Antares e a luneta de Galileu
  • Se os animais escolhessem a sua nacionalidade
  • Tenho a lua no meu bolso
  • Vou pintar um arco-íris…e outras histórias

A escritora Lurdes Breda veio à escola!

Padrão


LurdesBredajornalista

Conforme divulgámos em post anterior, a biblioteca da Escola Básica Poeta Manuel da Silva Gaio recebeu, esta quarta feira, a escritora Lurdes Breda. Este evento decorreu no âmbito do projeto Leituras à Medida, apadrinhado pela referida autora, a quem muito agradecemos, tendo consistido numa atividade de sensibilização para a inclusão, através da leitura e da escrita, com alunos do 5º e do 7º ano de escolaridade.

Neste post, e para que possam ter uma ideia do que vivenciámos, apresentamos algumas fotografias, um pequeno vídeo e até um apontamento no jornal Diário As Beiras, que também nos visitou.

Read the rest of this entry

Leituras à medida com Lurdes Breda

Padrão
Cartaz_LM_LurdesBreda

Cartaz (miniatura) © MAz AECC’15

 

No âmbito do projeto Leituras à Medida, o Agrupamento de Escolas Coimbra Centro terá a honra de receber a escritora Lurdes Breda, no dia 6 de maio, pelas 10h30,na Biblioteca da Escola Básica Poeta Manuel da Silva Gaio.
Será desenvolvida uma atividade de sensibilização para a inclusão, através da leitura e da escrita, com alunos do 5º e do 7º ano de escolaridade.
O Agrupamento muito agradece à escritora que apadrinhou o referido Projeto, cedendo um texto original para ser adaptado em Língua Gestual Portuguesa, Braille e Boardmaker.

Oficinas Pedagógicas Contos com Reflexão

Padrão

A biblioteca da EB Silva Gaio recebeu e participou nas Oficinas Pedagógicas Contos com Reflexão orientadas pelo psicólogo educacional Dr. Alfredo Leite (Projeto Mundo Brilhante). Estiveram presentes as turmas do 5º A e B, 6º A e 1,8º A e 1 e 9º A e 1.

De um modo dinâmico e vigoroso, este profissional apresentou as obras O Cavaleiro da Dinamarca, A Eneida, O rapaz de bronze, O Velho e o Mar, e os Lusíadas. Os alunos participaram ativamente e o seu feed back, recompensador.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Fotografia: Margarida Azevedo

Dia da Bengala Branca

Padrão

O Dia da Bengala Branca comemora-se a 15 de Outubro “(…) e foi estabelecido pela Federação Internacional de Cegos, em 1970. A efeméride tem o objectivo de reconhecer a independência das pessoas com deficiência visual e sua plena participação na sociedade. Simbolicamente a Bengala Branca representa a independência, a liberdade e a confiança.” (Acapo)

Nota: Este vídeo encontra-se disponível para download no espaço virtual AECC-BE – Leituras à MedidaComemoração do Dia da Bengala Branca e no Youtube (do AECC)

Informações e curiosidades:

A Bengala Branca

“A Bengala Branca é utilizada por muitas pessoas com deficiência visual em muitos países. A sua história começou em 1921 quando James Biggs, fotógrafo de Bristol, Inglaterra, ficou cego depois de um acidente. Por se incomodar com a quantidade de trânsito que havia perto da sua casa, pintou a sua bengala de branco para ficar mais visível. Em 1970 foi estabelecido o Dia Mundial da Bengala Branca pela Federação Internacional de Cegos.” (ACAPO)

Sobre a ACAPO

“Alogo Associação dos Cegos e Amblíopes de Portugal é uma Instituição Particular de Solidariedade Social, fundada a 20 de Outubro de 1989, que resulta da unificação das três principais e mais antigas instituições portuguesas de deficientes visuais – Associação de Cegos Luís Braille, Liga dos Cegos João de Deus e Associação dos Cegos do Norte de Portugal. 21 anos volvidos após a sua constituição, a ACAPO é, reconhecidamente, a Instituição de referência na área da deficiência visual em Portugal. Actualmente possui 13 delegações, com técnicos especializados, capazes de responder às efectivas necessidades das pessoas cegas e com baixa visão, suas famílias e comunidades envolventes. Para a habilitação e reabilitação de pessoas com deficiência visual dispõe de equipas técnicas multidisciplinares, integrando Técnicas de Serviço Social, Psicólogos, Terapeutas Ocupacionais, Técnicos de Reabilitação, Animadores Sociais, Técnicos de Braille e Técnicos especializados em novas tecnologias.” (Press release da Acapo)

Projeto Bedeteca

Padrão

ClubeBandaDesenhadaAECC (2) (1)BEDETECA – APRESENTAÇÃO

Propósito:

  • Construir uma secção na biblioteca dedicada à Banda desenhada.
  • Fomentar o uso didáctico da banda desenhada.
  •  Dinamizar actividades de tradução e retroversão.
  •   Fomentar o gosto pela leitura e criação de banda desenhada.
  •   Divulgar a gramática da banda desenhada, salientando a especificidade do seu discurso na articulação entre imagem-texto-cor.
  • Promover um concurso anual inter-escolas, com exposição final de trabalhos e, eventual, publicação de trabalhos num anuário.

Como fazer:

  • Contactar editoras para a oferta e/ou fornecimento de álbuns a preços acessíveis para o espólio da biblioteca.
  • Estabelecer parcerias com a Junta de Freguesia de Santa Cruz, jornal ou jornais locais e regionais para o desenvolvimento de concursos a nível local e/ou nacional
  • Convidar as turmas com expressão plástica para a realização de bandas desenhadas.
  • Organizar anualmente uma visita de estudo ao Festival Anual de Banda Desenhada da Amadora.
  • Promover a realização de uma feira do livro dedicada à BD.
  • Constituir uma comissão de acompanhamento e promoção de actividades.
  • Procurar apoio financeiro em bancos e empresas para desenvolvimento deactividades e/ou concursos.
  • Publicar um anuário com os melhores trabalhos (distribuído com a edição de um jornal).

Comissão Coordenadora:

Deve incluir na sua composição professores de línguas (português, inglês, francês) e de Expressão Plástica. Esta composição permitirá que nas aulas de Línguas e Expressões se possam desenvolver actividades como construção de argumentos, tradução, retroversão, desenho, onde se dinamize e aplique a técnica da banda desenhada.

Produtos:

  • Concursos a nível de escola (tradução/retroversão)
  •  workshops
  •   Bedeteca
  • Um blogue e/ou uma secção na página web da escola.
  • Exposição anual de trabalhos.
  • Anuário com a publicação dos melhores trabalhos de BD e artigos sobre banda desenhada.

II – FASES DE IMPLEMENTAÇÃO

A – NÍVEL DE ESCOLA

1.a fase: Aquisição de álbuns de banda desenhada (em português e noutras línguas). 2.a fase: Implementação de concursos e workshops de apresentação e divulgação. 3.a fase: produção de trabalhos.
4.a fase: publicação e exposição dos trabalhos produzidos.

B – NÍVEL INTERESCOLAR

5.a fase: Concurso de Banda Desenhada Inter-Escolas.
6.a fase: Organização de um Festival Anual da Banda Desenhada Escolar, em Coimbra (envolvendo entre outras entidades: Junta de Freguesia de Santa Cruz, Câmara Municipal).

Coimbra, 2 de Junho de 2010

O Professor Promotor

João Carlos Matos Lopes”


Aceda ao documento original em:  https___doc-0k-9k-apps-viewer.googleusercontent